Propriedade Intelectual – o que isso tem a ver com os meus negócios?

Nos últimos anos tem se falado muito em “gestão do conhecimento”, “capital intelectual”, “intangíveis” etc… mesmo assim, a compreensão do termo “Propriedade Intelectual” (que reúne marcas, patentes, software e direito autoral) e seu efeito nos negócios é quase inexistente.

Apesar desse “descaso” o tema é presente no dia-a-dia dos empresários, vamos usar como exemplo a mídia impressa. Eu tenho uma preferência especial pela revista Isto É – Dinheiro, vamos analisar a edição 307 de 16 de julho de 2003 e verificar quantas vezes o tema “Propriedade Intelectual” aparece (nas suas mais diversas formas).

Ao todo, foram 29 matérias ou artigos de diferentes tamanhos que tem como tema a Propriedade Intelectual e seus efeitos nos negócios. Se você pensar bem vai ver que no seu dia-a-dia há várias situações que você entra em contato com novas tecnologias, novas marcas, etc…

A Propriedade Intelectual faz parte da sua vida e você nem sabia!

Veja detalhes abaixo:

Pág. 6 – “Santo nome em vão” – a matéria cita que as freiras da Ordem da Madre Teresa de Calcutá querem “patentear” o nome da religiosa por problemas com o uso da “marca” – apesar do termo “patentear” ter sido usado de forma incorreta* a notícia demonstra a importância de uma marca. (marca / uso de imagem)

* Uma marca não pode ser “patenteada” só “registrada” a patente é o instrumento legal de proteção de processos industriais ou produtos industrializados e biotecnologia.

Pág. 6 – “Ronaldinho – Gol contra” – Uma industria suíça afirma que vai exigir na justiça o ressarcimento de U$ 1,2 milhões pagos ao craque Ronaldinho pelo uso da marca “R9” em seus relógios. A justificativa é que quando foi feito o contrato o craque estava “em alta”, porém com problemas no joelho e entrando numa fase “ruim” prejudicou as vendas do produto, que encalhou deixando a empresa à beira da falência. (marcas / uso de imagem)

Pág. 6 – “Nike com estrela” – A Nike comprou por U$ 305 milhões a empresa Converse, detentora da marca All Star, basicamente pelo valor da marca, pois o tênis da All Star é o oposto da Nike, sem tecnologia o tênis da marca é um dos mais simplórios do mercado. (marcas)

Pág. 7 – “País Corsário” – A matéria trata do tema da pirataria e afirma que o Brasil tornou-se alvo Nº 1 de uma campanha antipirataria comandada pela Federação Internacional da Indústria Fonográfica, também demonstra que a pirataria não resume-se à CDs musicais, estende-se à DVD, Softwares, etc… dá estatísticas inclusive. (direito autoral)

Pág. 7 – “Telefonia – Celular Musical” – O artigo comenta o sucesso da música “Velha Infância” dos Tribalistas como ringtone de celulares, a empresa que fornece a música para as operadoras cobra R$ 2,00 por download e afirma já ter tido mais de 200 mil downloads (direito autoral).

Pág. 7 – “Seção Cifrões / 100 mil dólares” – Trata do valor mínimo para arremate de alguns itens (tufo de cabelos, dente molar e um disco banhado à ouro) atribuídos à Elvis Presley, o leilão ocorrerá no site Ebay e não é garantida a legitimidade do dente nem do tufo de cabelos. (uso de imagem)

Pág. 8 – “A fusão Avança” – A matéria trata da fusão (que está muito próxima de ocorrer) entre Bradesco e BBV. Será mais uma “marca” de banco engolida pelo Bradesco. (marcas)

Pág. 12 – “Hooters no céu” – A rede de restaurantes Hooters, conhecida pelas garçonetes com curvas exuberantes e pouca roupa está fazendo uma ação publicitária com as aeromoças que atendem os vôos entre Atlanta, Nova Jersey e Carolina do Sul. (marcas)

Pág. 12 – “Na garupa de Kasinsky” – O empresário Abraham Kasinsky é protagonista de um comercial de sua moto GF 125 junto com sua assistente Kátia. Eles aparecem dentro de um Globo da Morte, a produção do comercial custou R$ 4 milhões e quem assina a campanha é a W/Brasil. (marcas)

Pág. 12 – ” A força da Pepsi”“Mãe, Pepsi, Leite” essas foram as primeiras palavras do americano Terry Wallis depois de um coma de 19 anos… a matéria ainda trata do valor da marca Pepsi e dos investimentos em marketing da mesma. (marcas)

Pág. 12 – “Vem aí a Super-Diana” – A Marvel Comics pretende lançar um gibi (série especial) utilizando a imagem da Princesa Diana…. está sendo duramente criticada pela família real. (uso de imagem)

Pág. 12 – “No ar, a Spike TV” – A Viacom proprietária da TNN emissora americana, irá trocar o nome (marca) da emissora para o do diretor novaiorquino, a mudança vem junto com o novo foco da emissora:homens jovens, urbanos e negros.

Pág. 37 – “Limeira é uma Jóia” – A matéria trata da grande mudança no município, antes conhecido como capital da laranja e que agora está crescendo no mercado de jóias e bijuterias, atualmente com 600 empresas atuando no setor, correspondendo por 37% do mercado nacional. Também cita outros exemplos de cidades que tornaram-se referência em algum produto, ex: “Bordados de Ibitinga”, também fala de cidades produtoras de móveis, cerâmicas, etc…. (marcas / indicação de origem*)

* Indicação de Origem é uma das aplicações diferenciadas de uma marca, buscando certificar que determinado produto tem origem naquela região consagrada por excelência naquela atividade.

Pág. 40 – “Telefônica Digital” – Trata da investida do Grupo Telefónica na internet, investimentos, ações e parcerias alinhavadas para transformar a “Telefónica” na grande marca da Internet. (marcas)

Pág. 44 – “Ninguém escapa” – A pirataria na informática ultrapassou o limite dos softwares, agora empresas estão falseando a capacidade de processamento dos Chips. (pirataria)

Pág. 44 – “O retorno de Bob para a rede” – Bob Wollheim conhecido nos meios digitais por sua passagem em diversas empresas entre elas a Starmedia que tornou-se fenômeno nas bolsas americanas, retorna à internet participando do site www.fotosite.com.br – ” O Fotosite é um exemplo de uma das marcas criadas no ápice da internet que adquiriu um grande valor” – diz Wollheim. (marcas)

Pág. 45 – “Outra reserva de mercado” – O governo federal resolveu apoiar abertamente o software livre, o motivo é simples: o país paga anualmente U$ 1 bilhão em licenças de softwares a empresas estrangeiras. (software)

Pág. 45 – “Ícone à venda” – Os apaixonados pela marca Harley-Davidson podem comprar vários produtos com a marca (exceto a própria moto!) são canetas, canecas, capas de chuva, perfumes, capacetes, relógios, etc… (marcas)

Pág. 46 – “Proteção Autoral” – Em agosto entra em vigor o novo texto da lei de direito autoral que poderá dificultar a atuação de sites/softwares como o antigo “Napster” que facilitava a troca de arquivos sem o pagamento de direitos autorais. (direito autoral)

Pág. 47 – “O homem que viu o futuro” – Trata da história do italiano Leonardo Del Vecchio que foi o primeiro a notar que os óculos podiam ser um acessório de moda e ficou bilionário. (marca / design)

Pág. 49 – “Será o adeus de Macri?” – O empresário argentino Francisco Macri anunciou que pretende se desfazer de todas as empresas que adquiriu no Brasil, entre elas o Frigorífico Chapecó, Adria Alimentos e Isabela Massas e Biscoitos. (marca)

Pág. 53 – “Estação Exportar” – A empresária paulista Maria Beatriz Braga Setti investiu fundo no desenvolvimento de uma tecnologia híbrida de combustível para ônibus, inicialmente aplicou-a na sua empresa Viação ABC e agora colhe os lucros da venda dessa tecnologia para diversas empresas principalmente no exterior: ” Não quis comercializar o ônibus antes de sair a patente” – diz Maria Beatriz. (patente)

Pág. 54 – 57 – “Geração Teen” – A matéria de capa desta edição trata dos hábitos de consumo dos jovens, que já movimentam R$ 100 bilhões. Identifica algumas marcas preferidas e os investimentos que algumas empresas estão fazendo para gravar sua marca nesse mercado. (marcas)

Pág. 58-59 – “Quanto vale a Marca” – Trata do sucesso do capitão inglês David Beckham como garoto propaganda, cita valores pagos pelo uso de sua imagem pelas marcas: Adidas, Marks & Spencer, Pepsi, Vodafone e Castrol além, é claro, do próprio Real Madrid que já vendeu 8 mil camisetas do jogador. Também tem uma página inteira com uma entrevista com o principal executivo Adidas – Herbert Hainer e as estratégias que a marca adotou para ultrapassar a Nike. (marcas)

Pág. 64-66 – “Ataque à Trombose” O grupo Aventis está investindo pesado numa campanha de prevenção da TVP – Trombose Venosa Profunda, com o apoio da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular a empresa pretende esclarecer sobre a doença e… promover o medicamento Clexane líder em um mercado de R$ 70milhos mas que pode crescer muito chegando à R$ 600 milhões segundo estimativas da empresa. (marcas)

Pág. 71 – “Coroa Enxuto” – A matéria trata dos 40 anos do Porshe 911 e o fascínio dessa marca. Também trata de uma questão de marcas entre a Peugeot e a Porshe. (marcas)

Pág. 73 – “Pedalada Robusta” – Depois de tornar-se um dos jipes preferidos de celebridades como Arnold Schwarzenegger a Hummer resolveu “estender” sua marca para outros produtos, o primeiro é uma bicicleta produzida com a marca – o custo? U$ 2 mil. (marcas)

Pág. 73 – “Mesa que voa” – Designers criaram uma mesa que tem como base o nariz de um avião C-133 fabricado entre 1956 e 1971 cada unidade custa U$ 3,7 mil. (design)

Pág. 73 – “Som de Alexandria” – Inspirado na famosa biblioteca de Alexandria a empresa Wilson Áudio resolveu batizar seu mais novo produto com o nome “Alexandria” são caixas de som que esbanjam design e tecnologia, produzidas artesanalmente o par custa U$ 125 mil. (design / marcas)

0
  Leia também

Add a Comment